Entre Fraldas e Blush

Entre Fraldas e Blush

O que você recebe por ser Mãe

Você acorda esposa, profissional, dona de casa, filha, amiga e, uma notícia no meio do dia, te faz dormir MÃE. Todas as expectativas mudam, o Norte muda, os horizontes mudam, a vida muda, as cobranças mudam.

De início, você já precisa responder a um monte de perguntas: Qual sexo? Você tem preferência por menino ou menina? E os nomes? Já pensou nos nomes? E quando nascer irá ficar com quem? Será que vai ter o olho azul, castanho, preto? E o quartinho? Você está enjoando? Qual o tipo do seu sangue? E as vacinas, estão em dia? Você quer parto normal ou cesárea? …

E cada pergunta te deixa mais aflita, como se você tivesse as respostas, como se desde agora você tivesse a obrigação de saber tudo! Mas NÃO, mãe não tem que saber tudo, o tempo e as experiências se encarregaram de ensinar o essencial, o restante é extinto, é raça, é coisa de mãe, de sentir, química materna na veia que te traz sensações que vão de zero a mil em um segundo, mas garanto que são os melhores momentos da sua vida!!!

Mas tudo isso é só o começo, você terá em suas mãos sua própria vida, um coração que gerou dentro de você, um serzinho tão pequeno e indefeso que a única coisa que você pode fazer é amar, amar e amar.

Primeiro você irá aprender mais do que ensinar, cada sorriso, cada gracinha! Você verá a simplicidade da vida nesses gestos, que para ser feliz você precisa de tão pouco e não sabia dessa quantia antes.

Os primeiros dentinhos, os primeiros passos, as primeiras birras, o desenho favorito. Aquela pecinha de roupa que você vai guardar para sempre junto com o desejo de que o cheirinho também pudesse ser guardado, não existe cheiro melhor no mundo do que cheiro de filho, cheira amor + vida + ternura + fofura + amor + bebê + um pedacinho e, por esses motivos, ser mãe vai se tornando mágico e intenso de mais. Você mergulha em um oceano, pisa em uma terra encantada. Claro que essa terra tem um monte de monstros, perigos, medos… Nossa!!! Tantos medos!

Você pode ser a mulher mais forte do mundo, a mais corajosa, aquela que não teme nem a morte, mas o dia que seus filhos nascerem, você vai correr da morte, irá desejar viver para sempre para poder protegê-lo dos perigos, para poder segurar a mãozinha dele, dar colo, conselho, abraço, beijo, cafuné, buscar na escola, buscar na balada.

Você temerá a morte como seu maior medo e não será por medo de perder sua vida, mas a oportunidade de viver a vida do seu filhote. E você pedirá a Deus: – me faça imortal!

Seu filho cresce, vem escola, infância, adolescência, faculdade, os namoros, o noivado, o casamento, os netos, não necessariamente nessa sequência. E você está onde começou outra vez, sem a cria perto, sem o melhor cheiro do mundo, o melhor sorriso, mas você tem uma certeza, forte e única: – sou mãe!

E você finalmente recebe uma resposta de Deus sobre seu pedido de imortalidade:

“- Você será imortal em seus filhos, em tudo que os ensinou, em todo amor que plantou, em cada beijo que ofereceu. Sua vida gritará tão forte na vida deles que eles nem perceberão que cada atitude deles será um gesto seu. Você nunca morrerá dentro deles. Dou-te a imortalidade como presente, por ser Mãe”

Autora: Jaqueline Medeiros @entrefraldaseblush

Se você gosta dos meus textos venha conhecer o meu  Ebook com os melhores textos que já escrevi 

Aproveite que é por tempo limitado

Xoxo

Seus filhos serão crianças apenas uma vez. O Baile!!!

Resolvi ser mãe empreendedora. E agora??

Resolvi ser mãe empreendedora. E agora??


Essa perguntinha eu me fiz há alguns anos atrás. Quando eu estava no comecinho, com um
bebê de um ano no colo, e procurando possibilidades de voltar e me equilibrar
financeiramente, sem ter que depender do marido.
Para mim, sempre foi muito importante essa questão. Ser independente financeiramente. E
naquele momento, minha cabeça fervia de ideias mas eu não sabia muito como colocar em
prática.
Comecei como muitas, (pelo menos quase todas que eu conheço) , pegando um pedidinho ali,
uma encomenda, mas sempre com uma mente inquieta que gritava. Preciso melhorar,
preciso melhorar, preciso melhorar.
Esse foi o meu primeiro empreendimento, como mãe. Ali aprendi muitas coisas, perdi muito
dinheiro, comprei cursos e mais cursos que não tinha como pagar, e dá-lhe cartão de crédito.
(sim, precisa se capacitar.) Mas foi dali que aprendi uma coisa muito importante. Para ser
empreendedora, não tem muita regra do jogo não. Tem que ter é sangue nos zóio. Kkkk
E foi então, que percebi, que se queria crescer, tinha que começar a me estruturar. Não
queria mais pra mim, aquela vida louca de cuidar da casa e da cria de dia, e do trabalho de
madrugada. Queria voltar a ter uma vida normal.
Foi então que o negócio começou a dar resultado. Primeira atitude. Mudei completamente
de ramo. O meu antigo negócio (trabalhava com personalizados) não tinha mais nada a ver
comigo. Me amarrava, não me completava, e estava começando a ser um peso na minha vida.
Durante um processo de coaching lindo, eu resgatei meu diploma de comunicadora, juntei o
meu ponto doce e comecei sozinha um novo projeto.
Contando essa história, parece que foi um processo fácil. Linear, pleno…. Não, não foi. E
ainda não é. E eu vou te contar aqui, alguns aspectos que temos que levar em consideração
Empreender é um ato completamente solitário. O foco que temos que manter no trabalho,
nos tira muitas vezes do círculo de amizades, que nem sempre estão no mesmo momento que
a gente. Além disso, as decisões tem que ser tomada sozinhas. Afinal, você é a dona do
negócio. A minha solução foi procurar apoio em comunidades, em outras mães
empreendedoras que passavam exatamente por aquilo que eu também passava. Esse ponto é
tão importante, que eu comecei criando a minha própria comunidade.
Outra coisa que pega bastante é a questão financeira. É muito diferente de vc ter salário no
final do mês (gente, eu sempre fui CLTista). Não teve jeito, tive que perder a vergonha de
vender, e correr atrás de construir meu faturamento. Aprendi a guardar para emergências, e
agora, mesmo que dê uns friozinhos na barriga de vez em quando, consigo tirar o meu pro
labore todo mês
A última coisa, que ninguém conta, é que é exaustivo pra caramba. Ou seja, vai ser a sua
segunda, terceira ou quarta jornada do dia. Essa foi uma das maiores dificuldades que tive, e
confesso, que vira e mexe ela me derruba. Não tem jeito. Vai ter que se cuidar para aguentar
o tranco. Ficar atenta ao descanso, a hidratação a alimentação. Ahhhh, e atividade física é
essencial. Demorou muito tempo para eu perceber e aceitar que isso não era uma bobagem.
E confesso que de vez em quando, ainda caio nessa armadilha.
Hoje quando me perguntam o que eu faço, eu respondo com orgulho. Eu sou uma mãe
empreendedora que ajuda outras mães empreendedoras. Pois reconheço em cada uma delas
as dificuldades que eu tive que superar, e o que eu puder fazer para encurtar e facilitar esse
caminho, farei com o maior prazer.
Contando essa história para vocês eu pude perceber o como eu cresci ao longo desses anos.
E se eu puder dar um conselho pra você que está ai começando agora, ou que já começou e
anda meio desmotivadinha. Em primeiro lugar, alinhe o seu empreendimento com o seu
coração, e se ele te completa, se joga. Não desista de fazer dele uma realidade. Pense grande,
se abra para as oportunidades, e um passinho de cada vez, as coisas irão acontecer.


Vou concluir me apresentando. Meu nome é Telma Morassutti, tenho 41 anos, sou mãe do
Luiz Octavio, Idealizadora da Marketing de Mãe pra Mãe. O meu principal objetivo é gritar
para o mundo que é possível sim, ter um negócio rentável, sustentável e altamente lucrativo,
sendo mãe empreendedora.

E se você quiser continuar esse bate papo gostoso, vou deixar aqui embaixo aonde você pode
me encontrar

Beijocas

Telma Morassutti

NOSSO FACEBOOK
IG MARKETING DE MÃE PRA MÃE
MEU PESSOAL

Ela Transformou sua Realidade e hoje trabalha com sua Família
Sling – Amor em forma de pano
Empreendedorismo Materno – A História da Dona Meleca

Você gosta de ver seus filhos fofos e bonitos?

Oi meninas, eu já contei para vocês em outro post que criamos uma marca de roupinhas infantil para deixar seus filhos mais fofos e bonitos, né? Então quero falar um pouquinha da marca com vocês hoje.

 

A FraBlu produz roupa para criançada brincar. Aquela roupa que pode cair na terra, sujar de papinha, pode ir à casa da vovó, sujar com molho de tomate da macarronada de domingo. E aquela roupa confortável e cheia de cor, carinho, alegria, que da para tirar uma soneca com sossego. Roupa para estar em família. Roupa para colorir as fotos e ficar guardada na memória de todos.

Pensamos em cada detalhe para respeitar a infância das nossas crianças, para que elas vivam esse momento tão importante da vida com grandeza. Muita diversão, alegria, aprendizado, união, sem perder o conforto e a liberdade de vestir uma roupinha que as deixem sempre leves.

Ser básico é ser livre. É ter um estilo único que traduz seu modo de viver e pensar. Buscamos traduzir o que é ser criança, o que é a infância, juntamos tudo isso e misturamos com muita cor e agora queremos que seus filhos tenham essa experiência de viver os melhores momentos e principalmente as primeiras descobertas com muita praticidade.

Nossos valores são diversão, união e liberdade. Nossos produtos são básicos, mas são lindos, fofos, cheios de cor, modernos, práticos, confortáveis e cheios de qualidade. Pensados e feitos com amor de mãe, por uma mãe que sabe o quanto é importante aquele sorriso no rosto, aquelas gargalhadas gostosas, aquela bagunça boa, que faz da vida um lugar mais feliz e cheio de recordações únicas.

Ser criança é muito simples, não queremos mudar isso!

Queremos estar presente, sem ofuscar a pureza, sem roubar a cena.

Os únicos artistas são e serão sempre eles

Sejam Bem Vindos a nossa Loja FRABLU 

Nosso instagram @frabluoficial

 

Produtos para seus filhos pagando até 4x MAIS BARATO
Dica de passeio para o Dia das Crianças
Lugar para se divertir com as crianças gratuito

QUAL A HORA CERTA DE TER UM FILHO?

 

Imagem: Internet

Se um filho vem quando se é adolescente, você vai ter dificuldades de estudar por alguns anos, vai precisar de ajuda dos familiares, participação do pai na vida do filho e na rotina com a criança/bebê.

Se você engravida com vinte e poucos, vai ter dificuldade de concluir a faculdade, de conseguir um emprego ou se manter nele, vai precisar de ajuda de familiares, amigos, participação do pai na vida do filho e na rotina com a criança/bebê.

Se você engravida com trinta e poucos, vai ter dificuldade de se consolidar no mercado de trabalho, conduzir uma pós, talvez seja demitida ou perca uma promoção, talvez peça demissão. Talvez precise trabalhar o dia inteiro para pagar outra pessoa para ficar com o filho, e ainda assim, será prejudicada na carreira. Vai precisar de todo apoio possível, compreensão no trabalho e participação do pai na vida do filho e na rotina com a criança/bebê.

Se você engravidar com quarenta e poucos, vai sentir um baque na vida profissional, ou vai sentir que não tem tempo suficiente perto do filho. Será cobrada em desempenho com muito mais rigor do que as pessoas que não tem filhos. Vai escutar que "gravidez não é doença", enquanto você limpa a boca suja de vômito no banheiro.Talvez seja demitida assim que acabar a licença maternidade. Vai precisar da participação do pai na vida do filho e na rotina com a criança/bebê, e de todo apoio logístico que puder.

Você decide não engravidar nunca e é taxada como defeituosa, imperfeita, que "nunca vai conhecer o maior amor do mundo".

Não existe "momento certo" ou "escolha errada", para cada pessoa vai ser melhor uma coisa diferente. Nossa sociedade pune todas as mães. Seja com o julgamento de não estar presente, seja com o desprezo por não ter um corpo de modelo e carreira competitiva-agressiva. Todas as mães são julgadas.

Acredito que o mais cruel fica nas costas das mães mais jovens, não por ser um "momento pior" nos estudos ou carreira. Por causa do estigma social. Preconceito. Moralismo.

Estudos e carreira saem prejudicados na maternidade sim, em qualquer momento da vida, pois todo o "peso" fica sobre os ombros maternos. Não dos homens. Não dá sociedade. Mas daquele único e solitário ser a quem é incumbido zelar por uma nova vida.

Quer ser mãe com 17, 25, 33, 41 anos. Mergulhe! Um grande abraço. No que pudermos nos apoiar, vamos nos apoiar.

Que possamos criar uma rede de mães de todas as mães, não só das "dentro dos padrões aceitáveis" de classe social, idade, hétero-casada do corpo saradão.

Elisa Lorena

____________________________________________________________

Lançamos um ebook com os melhores textos do Entre Fraldas e Blush por apenas R$19,90

Ajude uma mãe escritora <3 Link do ebook

Empreendedorismo Materno – A História da Dona Meleca
Viagem sem os filhos e nossa maternidade real

DESFRALDE – MOMENTO CERTO – PARTE 1

Desfralde

Um dos maiores desafios é saber o momento ideal para a retirada da fralda. Quando pensamos nesse assunto, conseguimos pontuar com clareza a economia financeira e de tempo, a cobrança dos familiares e pessoas próximas. Nesse momento, começam nossos questionamentos internos. Será que eles estão certos? Já passou da hora de tirar a fralda!!

Será?!

Olhe ao seu redor. Olhe para sua casa, para o que está acontecendo. Você está pronta? Sim, mamãe, você precisa estar preparada para iniciar o treinamento. E seu filho? Vocês estão prontos?

Mamãe, não comece se estiver preocupada, ocupada demais, ou se a viagem de férias estiver próxima. Também, não inicie se estiver preocupada com o tapete novo, com o colchão ou com o sofá lindo que comprou para sua sala.

É importante respeitar a maturidade da criança e se manter atento aos sinais (andar com firmeza; incômodo com a fralda suja, avisar que fez ou que deseja fazer xixi ou cocô, se queixar que está molhado e ser capaz de seguir pequenas instruções/regras).

Normalmente, esse processo inicia-se a partir de 1 ano e meio ou 2 anos de idade. Embora, fisiologicamente mais “preparados”, as crianças com esta faixa etária, costumam desenvolver o negativismo, a teimosia, birra, insistência, estão menos interessadas em agradar aos pais e tendências a fazer as coisas a sua maneira. Nesta idade, as crianças costumam ser mais sensíveis ao que acontece ao seu redor, são mais afetadas pelas mudanças no ambiente, são curiosas e têm sentimentos que ainda não dominam.

Independente da idade em que iniciar o treinamento, tenha em mente, que a criança já acostumou a usar a fralda, por isso, é preciso ensinar, capacitar, ter paciência e controlar sua ansiedade. E cabe a você, mamãe, o papel de orientar e treinar seu (sua) filho(a).

O ponto crucial do desfralde está no COMO e QUANDO COMEÇAR.

Antes de retirar a fralda. Sugiro que observe seu filho(a). observe o comportamento dele(dela). Como ele (ela) costuma reagir antes e depois de eliminar (fazer xixi e/ou cocô). Observe as expressões faciais e postura corporal e os horários que costuma eliminar. Não é tão fácil identificar o momento do xixi. Por ser mais difícil, proponho após 30-40 minutos após a refeição ou ingestão de líquido, observe cuidadosamente seu (sua) filho(a). Pontue, verbalize: “você está fazendo cocô/ou xixi” ajude seu (sua) filho(a) a identificar as sensações e vontades.

O como e quando começar envolve um procedimento, construir uma base, ambientar a criança, fazer com que ela se sinta à vontade no banheiro, ela precisa estar familiarizada com o ambiente. Envolva todos que estão a sua volta, peça ajuda do papai, da vovó e cuidadora, vocês precisam mostrar intimidade com o vaso. Outra forma de encorajar a criança é deixar que ela veja vocês sentados no vaso. Transforme as idas ao banheiro num momento divertido, verbalize, diga em voz alta que está com vontade de fazer xixi e/ou cocô. Crie uma ligação entre a criança e o vaso, utilize do lúdico e brincadeiras. A parceria com a escola/creche/casa da vovó é fundamental.

Depois que você construir a base e perceber que seu (sua) filho(a) está familiarizado com o banheiro e vaso, retire a fralda.

Transforme as idas ao banheiro em hábito, incorpore na rotina da casa. Tente tirar a fralda em todos os momentos, compromissos e situações.

Você deve estar se perguntando. Quanto tempo demora o processo/treinamento? Não é possível prever de modo exato depende de como você começou, do seu comprometimento, paciência, se conseguiu manter as regras, ou seja, se foi constante, também, depende da personalidade do seu (sua) filho(a) e da capacidade de obedecer instruções. Em média o treinamento diurno leva cerca de 3 a 5 dias. E o noturno em média 15 dias.

Em relação ao desfralde noturno, verifique a rotina e os horários das refeições e ingestão de líquidos antes do horário de dormir. O que você pode fazer é tentar diminuir a quantidade de líquido oferecido ou antecipar o horário. O ideal é oferecer 40/ 60 minutos antes de dormir.

Quanto à escolha penico ou adaptador infantil, fiquem à vontade, essa escolha é pessoal. Ambos apresentam vantagens e desvantagens. O uso do penico implica em duas etapas na evolução da criança: uma para o penico outra para o vaso. Independente da escolha, não esqueça do apoio para os pés, fará com que a criança se sinta mais segura.

Seja uma grande incentivadora do uso do vaso. Celebre, comemore, faça uma festa para cada acerto. Pensem o que motiva meu (minha) filho(a)? Providencie tudo que motive, transforme o que acabou de lembrar em ganhos para cada acerto. Os prêmios não precisam ser caros, não necessariamente envolvem presentes/ brinquedos caros. As recompensas não funcionam se você fornece-las apenas em troca de cooperação, ou seja, da criança ter sentado no vaso. Se a criança não conseguir, não precisa elogiar, nem recompense, simplesmente diga que está tudo bem, conforte e tente novamente depois de 10 – 15 minutos.

Os escapes vão acontecer, a maneira como você lida com isso que é importante. Brigar, falar mal, reprimir ou manter uma postura negativa não vai fazer com que a criança aprenda, pelo contrário, isso acaba desestimulando. Se tiver algum acidente abaixe na altura da criança, faça contato visual, tranquilize e diga que está tudo bem. Ex: “tudo bem, na próxima vez você consegue”.

Quanto mais bronca a criança “ganhar” (ou “levar”), menos interessada ficará em aprender, ela poderá ter medo de deixar escapar de novo e levar mais bronca. Outro efeito colateral é a criança começar a segurar o cocô, o que pode ocasionar prisão de ventre.

O desfralde pode parecer difícil, mas não é, por mais frustrante ou entediante que possa parecer, você precisa ser firme. Aja com naturalidade, lide da melhor forma possível com os escapes. Evite sentimentos negativos ou raiva.

Encare o desfralde como um marco do desenvolvimento, assim como o sentar, andar e falar, cada criança se desenvolve e se torna capaz no seu tempo, procure respeitar, mostrar para as pessoas que estão a sua volta. Pense no treinamento como uma capacidade.

Boa sorte!!

Em caso de dúvidas, orientações ou trocar ideias, entrem em contato. Terei o maior prazer em conversar com vocês.

E-MAIL: duvidascomportamentoinfantil@gmail.com

Instagram: @duvidascomportamentoinfantil

Giselle Almeida Barcelos

Ela Transformou sua Realidade e hoje trabalha com sua Família
Produtos para seus filhos pagando até 4x MAIS BARATO
Dica de passeio para o Dia das Crianças

O segundo filho e os desafios maternos

O próximo filho
Mãe de filho único esperando o segundo filho é um assunto muito pertinente e vejo muitas mães vivendo esse momento.
Chega uma hora que é preciso deixar os laços e se vestir de mulher, executar o papel ao qual foi destinada. Não digo que a missão de toda mulher é ser mãe, mas, em algum momento, eu disse! Hoje já li e ouvi experiências de mulheres brilhantes que fizeram suas escolhas e me convenceram a respeitar esse tipo de decisão. Ao longo desses quase três anos, na lida de ser mãe, entendi que se a mulher não tiver um desejo forte por este estado emocional, provavelmente a loucura e o desespero de ter um filho e do que fazer depois da chegada do bebê, isso torne a maternidade um monstro de um milhão de cabeças. No fundo, a gente só não pira porque foi uma escolha unicamente nossa.
Não planejei meus filhos, mas também não evitei! Eu queria e quero muito tê-los comigo. Esperei ansiosa pelos meus filhos. A ternura de uma criança muda a trajetória de uma mulher e acredite: Nunca estaremos prontas, nunca iremos de fato saber o que é ser mãe, até sê-lo!
Você lê um monte de livros, artigos, depoimentos de outras mães. Eu fiz isso e faço muito até hoje, vivo de blog em blog materno e consigo te indicar alguns ótimos, que me ajudaram muito! No entanto, não existe uma fórmula ou receita de como ser mãe, um manual de instruções dizendo: COMO MONTAR UMA MÃE IDEAL! Se você ainda não é mãe e está um pouco assustada com a introdução, relaxe, a maternidade é tão deliciosa que eu teria mais uns três filhos, porém meu marido já cortou meu barato e disse que vai operar antes que eu encha a casa de crianças!
Como não tenho o modelo formal de como ser mãe, quero dividir com você o que tenho vivido e aprendido desde a primeira gestação.
Quero começar dizendo que minhas gestações, assim como de inúmeras mães, foram totalmente diferentes uma da outra e meu único receio, na segunda gestação, era como seria o parto.
Segundo, preciso reforçar que em nenhum momento planejei o segundo filho, mas que no mês que engravidei foram dias de muita correria e acabei não evitando, aconteceu e eu fiquei extremamente feliz por esse acontecimento em nossas vidas!
Quem segue o blog sabe do meu amor pela maternidade e, hoje, eu tenho absoluta certeza que nasci para ser mãe. Tudo que faltava para me fazer um ser humano melhor e mais consciente chegou juntinho com o Davi, hoje eu vejo o mundo com outros olhos e por outro ângulo. Sou mais tolerante, calma, centrada, decidida, destemida e minha fé triplicou. Não tenho medo de tirar sangue (acreditem, eu tinha), aprendi a dirigir, consigo cuidar de muitas coisas ao mesmo tempo e isso me traz uma confiança que eu não tinha tempos atrás. Claro que, todas essas mudanças estruturais de mim mesma, trouxeram novos planos e meus horizontes são outros.
A parte difícil existe e não é muito diferente da de outras mães, só tento não pirar! Mas mexe e vira eu piro e piro muito!
Às vezes, acordo e olho para o lado e lá está o Davi Luiggi dormindo, um soninho tão bom, tão sereno. Na minha cabeça passa um filme, os dias são longos, mas não consigo organizar tudo. Também não me preocupo com tudo…rs. Sou o ser humano mais light do mundo, já dormi sem tomar banho, sem lavar louça do almoço e da janta, sem jantar e não morri por isso, então, casa é a minha última preocupação. Se der arrumo, se não, fica para o próximo dia! E a vida segue. Cada dia uma novidade. Meu filho é uma criança normal, precisa ficar de olho o tempo todo, eu sinto falta do trabalho*, no entanto, sinto vontade de não voltar a trabalhar nunca mais, só para ficar com eles, assisto Peppa, Dora, Patrulha Canina e companhia limitada o dia todo. Enfim, a vida é normal por aqui e somos felizes!
Li que no segundo filho a gente já está preparada e ainda não sabe, tenho me agarrado a isso e nada de medo de não conseguir, essa semana uma seguidora deixou um depoimento no Instagram dizendo que o segundo filho dela nasceu quando o primeiro tinha um ano e um mês, que no início foi complicado e era muito corrido, mas que agora que já passou um tempo, ela chegou à conclusão que foi a melhor coisa que aconteceu.
O que realmente quero dizer é que, ser mãe, não é todo esse espetáculo de horrores que muitas descrevem. Imaginem, minhas avós tiveram sete filhos cada uma e na época delas não havia toda a estrutura que temos hoje, as fraldas eram de pano e minha avó materna conta que colocava todas para quarar, que as lavava na beira do rio. Se fosse hoje, eu as jogaria rio abaixo, imaginem vocês lavando uma fralda com aquele cocô amarelo que gruda no pano e não sai nunca. Não é difícil, só é tudo muito novo e muitas informações para serem absorvidas em um curto espaço de tempo.
Meu pensamento para as mamães que, assim como eu, estão esperando o próximo bebê é: Vamos viver a melhor experiência das nossas vidas novamente, vai ser trabalhoso, talvez, doloroso. Mas acreditem: A vida está nos entregando pela segunda vez uma joia que não se pode mensurar o preço, o valor excede a todos os números existentes e essa é a única conclusão para finalizar tudo que já escrevi e tenho sentido até aqui!
_______________________________________
 
Se você gosta de ler meus textos, saiba que reuni os melhores em um e-book e estão disponíveis para você, click no link e confira aqui
 
Xoxo
 
Jaqueline Medeiros
ENXOVAL DO SEGUNDO FILHO

Mitos e Curiosidades sobre descobrir o sexo do bebê

Olá meninas, alguma gravidinha de pouquinho por ae?

Sei o quanto sofremos de ansiedade para descobrir o sexo do bebê no inicio da gestação. Acho que toda mãe já passou ou vai passar pela famosa tabela chinesa ou algum teste maluco que o povo antigo fazia e isso é super normal. Cada fase é uma fase e essa é uma etapa muito gostosa, no final descobrimos que não importa o sexo, vamos amar do mesmo jeito sempre.

Nas minha duas gestações eu fiz vários testes caseiros, mas nenhum foi preciso como a tabela chinesa, contudo, pode ter sido pura coincidência.  Muitas amigas fizeram e não deu certo. Temos que ver tudo como uma brincadeira divertida que aumenta ainda mais a ansiedade.

Como a tabela chinesa funciona?

Primeiro a  mulher deve descobrir a sua idade lunar, que é a idade quando engravidou + 1, desde que não tenha nascido em janeiro ou fevereiro.

Por exemplo: Uma mulher que nasceu no dia 08/07/187, em 2018 completa 31 anos. Então, se ela engravidar neste ano, sua idade lunar será 32. Quem nasceu em janeiro ou fevereiro não precisa acrescentar +1 à sua idade, pois sua idade lunar é a mesma idade em que engravidou.

Depois, basta saber em qual mês ela engravidou e verificar na tabela abaixo. Os quadrados azuis representam os meninos e os quadrados cor de rosa representam as meninas.

Tabela chinesa sexo bebe

Além das brincadeiras caseiras e mitos do povo antigo e a Tabela chinesa, existem alguns exames que possibilitam descobrir o sexo do bebê no inicio da gestação, antes dos quatro meses de gestação.

Abaixo coloquei algumas informações importantes que encontrei no site  Brasil Baby Center  e que podem ajudar vocês.

Em resumo, falando em termos de semanas (calcule aqui de quantas semanas você está, se não souber):

    • A partir de 13 semanas, pelo ultrassom, dependendo da perícia do ultrassonografista, da qualidade do aparelho e da posição do bebê, e mesmo assim com chance de erro de cerca de 20 por cento
  • A partir de 16 semanas, pelo ultrassom, com mais certeza, mas ainda dependendo da posição do bebê e da experiência do profissional (erros humanos acontecem)

Enfim, aproveitem cada segundo, passa muito rápido e eu garanto que você irá sentir saudades do barrigão e de todos os paparicos.

Amanha tem mais.

Xoxo

Jaqueline Medeiros

Siga nossas redes sociais

Instagram e Facebook

Os principais sintomas de Gravidez
Cola ou costura – sobre a cesariana
Roupas para gravidas – Conforto e Bom Gosto

Os principais sintomas de Gravidez

Meninas lindas do meu coração, pensando em quantas mamães e novas mamães nos acompanham desde sempre e já que perdi todo conteúdo do blog, nem me lembre. Vou fazer uma semana especial com temas que eu já falei no passado aqui e que quero resgatar e trazer o que tiver de novidades para informar vocês sempre.

Então, vamos começar hoje falando sobre os principais sintomas da gravidez, terça-feira sobre mitos e curiosidades sobre descobrir o sexo antes das dezoito semanas. Quarta-feira sobre semanas x mês, depois cuidados durante a gestação e finalmente enxoval e mala maternidade.

Para as que planejam a chegada de um filho os sintomas misturam emoção e ansiedade, mas quando os sintomas aparecem de surpresa e sem nenhum planejamento? E quando são apenas sintomas? O que fazer? O que não fazer?

Vocês sabiam que algumas mulheres não apresentam sintomas nenhum?

Vou falar rapidinho da minha experiência nas duas gestações. Na primeira eu parei de tomar remédio em janeiro e no final de fevereiro eu já estava gravida. Mas só fui descobrir no final de Março. O único sintoma foi o atraso da minha menstruarão, não quero assustar ninguém, mas fiz dois testes de farmácia e um beta hcg e todos deram negativos e eu já estava gravida. Segundo minha ginecologista, provavelmente estava bem no inicio e por isso nenhum deu positivo. Ela pediu um teste hormonal e suspeitava que eu estivesse com algum distúrbio e por isso não menstruava, o resultado saiu em uma sexta-feira e eu não consegui falar com minha medica. Mandei o resultado para minha cunhada, que é medica e ela falou: ó cunha, você tem certeza que não está gravida? No sábado cedo refiz o teste de beta hcg e deu positivo. Minha cunhada ficou muito mais feliz que eu, disse que pelos meus exames o índice de progesterona estava muito alto e se eu realmente não estivesse gravida eu provavelmente estaria com alguma doença gravíssima no meu útero. Então, foi tudo tranquilo.

Na segunda descoberta, Jesuis!!! Quando minha menstruação atrasou eu já fiquei desesperada, meu primeiro filho ainda não tinha nem um ano gente, eu estava com um neném. Mas confesso que andei ficando sem remédio, nos prevenimos e não rolou né?! Eu senti algum mal estar e só, fiz um teste de farmácia e deu negativo. Era véspera do aniversario de um ano do meu primeirinho e estava na correria da organização da festa de um ano. Uma amiga é enfermeira e o Tio dela tem uma clinica aqui na cidade, ela veio aqui no sábado 7h da manha colher meu sangue para confirmarmos se eu estava ou não gravida. Lembro como se fosse hoje, ela me ligou e  disse: Amigaaa, esta sentada? E eu disse não, fala logo. Ela falou: Então senta… Nessa hora eu já estava em pânico total e ela disse: Amiga deu positivo, você esta gravidíssima.

Enfim… Filhos são sempre bem vindos, ás vezes, eles vem de surpresa!!! E é maravilhoso!!!

Vou listar alguns sintomas que são bem característicos da gravidez, mas se você tiver bem no inicio provavelmente eles não apareçam. Ou talvez apareçam sem você estar gravida, porque se confundem e parecem muito com os sintomas pré-menstruais.

Vamos lá:

  • atraso da menstruação
  • mal estar
  • seios inchados
  • cólica
  • enjoos
  • desmaios
  • mudança de humor
  • sonolência

Mas quando estamos muito ansiosas tudo parece suspeito. Portanto, procure sua ginecologista e fale sobre os sintomas e sobre sua suspeita. Ela ira te orientar a fazer o exame de sangue, que é o mais correto.

Não sei se você esta planejando um neném, ou se esta preocupada porque suspeita de uma gravidez que não planejou. O que realmente sei é que Deus sabe todas as coisas e que tudo acontece no tempo dEle. O resultado é somente Ele dizendo espere ou é agora.

Acompanhe os próximos post dessa semana e siga nossas redes sociais

@entrefraldaseblush no instagram e no facebook.

Xoxo

Jaqueline Medeiros

 

Produtos para seus filhos pagando até 4x MAIS BARATO
Dica de passeio para o Dia das Crianças
Lugar para se divertir com as crianças gratuito

Larguei o trabalho para ficar com meus filhos e fazer o que eu amo

Olá meninas, esse post é um repost, por sorte eu tenho esse texto que eu achei muito importante compartilhar com vocês. É meu depoimento de quando pedi contas do meu trabalho para ficar com os meninos, quem não leu, vem ler!!

Depoimento da minha escolha de deixar o trabalho para ficar com os meninos!

 

Não deixei meu serviço porque sou uma sortuda e tenho a oportunidade de estar em casa com meus filhos ou porque apareceu outro trampo. E também não deixei meu serviço porque resolvi renunciar à minha carreira para ficar com os meninos. E, muito menos, me demiti porque sou louca, insana ou coisa do tipo (acho que só um pouco). Eu sei que estamos em crise e eu não sou rica…rs.

Foi uma soma de fatores que resultou nessa decisão. Eu vou contar tudo para vocês. Primeiro: Sim, quero ter mais tempo com os meninos e tempo com qualidade. Sim, quero voltar a cuidar das minhas redes sociais. E não, isso não dá dinheiro…rs. Blog, Instagram, youtube e todos os outros canais de comunicação dão dinheiro, se forem grandes, ou de pessoas conhecidas, famosos, celebridades e assim por diante. Mas eu amo escrever. Amo tirar fotos. (E não sou profissional em nenhum dos dois, mas faço com muito amor). Se um dia eu ganhar dinheiro fazendo isso, ótimo. E não, nunca deixem que digam que não vale a pena acreditar em um sonho. Nunca, em tempo algum, deixem que sequer insinuem que você não é capaz de ser a melhor no que faz.

Quando eu entrei na faculdade, eu li um texto do Pedro Bial que me intrigava e me fazia me perguntar todos os dias para onde eu queria ir.  Ou onde eu pretendia chegar, na época, a resposta era óbvia: Eu vou ser Engenheira, ganhar o mundo e ficar rica. Hahahahaha Eu esqueci que, um dia, eu seria duas, depois três e hoje, finalmente, sou quatro. E eu não sabia que não se deve planejar a vida toda. Se você tem um plano para vida toda, provavelmente, ele não terá sucesso. Nossa vida é feita de fases e o correto é se planejar para cada uma. “Até a faculdade, vou fazer isso…” “Até me casar, vou fazer isso outro…”  “Até eu ter filhos, vou comprar uma casa, um carro…” “Quando eu tiver filhos, vou fazer isso…” “ Até as crianças, irem para faculdade vou fazer uma poupança…” “Depois que as crianças saírem da faculdade, vou ficar de boa…” “Depois que eu aposentar, vou viajar pelo mundo…” E, mesmo assim, os projetos vão passar por adaptações ao longo do tempo. E projetos são diferentes de sonhos. Porque eu ainda sonho em ficar rica…(risos)

Mas, voltando ao texto do Bial, era o seguinte, em determinada parte do texto ele dizia:

Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida. As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam, aos vinte e dois o que queriam fazer da vida. Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda não sabem.”

Pensei: O Bial é doido, eu sei muito bem o que quero!

Claro que isso mudou depois que o Davi Luiggi nasceu e o que eu realmente queria, era vê-lo crescer. O primeiro passo, a primeira palavra. E depois veio o Mateus Lucca e esse desejo aumentou. Meus projetos mudaram, mas meus valores se fortaleceram, porque nossos valores não mudam. Os meus sempre foram: Família e minha independência.

Família, para mim, é a base de tudo, se você tiver uma boa base, você irá longe! E eu sempre, desde muito cedo, entendi que a mulher precisava de um espaço no universo e que a mulher precisava se virar, nada de sexo frágil. Somos o sexo mais atraente, meigo, doce, intrigante. Menos o sexo mais frágil, bom, eu penso assim. Depois da maternidade tive certeza! E esse é o meu segundo valor, minha independência. Meio que um grito de liberdade. Ter meu dinheiro, meus sonhos, meus desejos. E essa realmente sou eu! Prazer!

Tudo isso me fez retornar ao trabalho e agora me fez deixá-lo. Você precisa fazer algo que te traga felicidade e paz, apesar do cansaço. Sua realidade tem que andar de mãos dadas com todos os seus valores, se um se perde, já era. Você precisa fazer o que acredita. Você só terá sucesso se o que você faz é o que você ama.

Já faz um tempo que eu venho pensando em como usar meus talentos e paixões para ficar próxima dos meus filhos, porque ficar longe deles 12 horas por dia não fazia sentido algum. Foi um ano que eu perdi muito, criança se desenvolve muito rápido e quando você vê, eles já falam, andam e fazem gracinha. Eu passei dias e noites pensando se realmente valia a pena estar com eles metade do tempo e o tempo que eu tinha estava exausta. Relutei em fazer algo que não fosse relacionado a minha formação. Mas, hoje, eu sei que posso ser o que eu quiser! Então serei: Mãe, Engenheira, Blogueira e Empreendedora. Nessa sequência! Porque conhecimento não se rouba e eu posso nunca mais exercer a função de engenheira, mas eu te garanto que morrerei Engenheira! Tenho orgulho desse título, mas ele perdeu o primeiro lugar quando eu li “POSITO” no beta HCG.

Tenho novos projetos que foram se encaixando desde o primeiro dia de 2018 e eu tenho certeza que Deus está sendo meu maior mentor. Confio que Ele não plantaria um desejo tão forte no meu coração que eu não pudesse cuidar. Vou ter mais tempo com os meninos, vou fazer o que amo muito, vou ensinar e aprender. Vou deixar aquela marca no universo que eu vim para deixar.

_____________________________________________________________________

Quando escrevi o texto, bem no final do mês de Janeiro eu ainda não tinha o Site e o Instagram da loja. Hoje eu dependo deles para ter uma renda, confesso que é uma mega missão, mas quase quatro meses se passaram e eu não me arrependo da decisão que tomei. Nos dias muito difíceis eu até penso: Ah mas sou engenheira e bla bla bla bla. Ae eu olho para o lado e vejo duas carinhas que encantam numa proporção sem medidas e volto ao meu mundo de empreendedorismo materno, eu já disse isso em um post lá no instagram da loja 

Agora continuem acompanhando meu trabalho aqui no blog, nas redes sociais e venham conhecer a loja!

E eu também amo escrever, tem um ebook lindo e cheio de carinho aqui Entre Fraldas e Blush não deixe de ler <3

Xoxo

 

Jaqueline Medeiros

Ela Transformou sua Realidade e hoje trabalha com sua Família
Sling – Amor em forma de pano
Empreendedorismo Materno – A História da Dona Meleca

O Blog Entre Fraldas e Blush e um lindo recomeço

Bom dia meninas!

Sei que muitas de vocês nos acompanham desde o início do blog  Entre Fraldas e Blush e conhecem muito bem nosso trabalho. Hoje trago algumas noticias e muitas novidades. A primeira noticia é que eu tive um problema com a hospedagem do blog e perdi todo meu trabalho de quase três anos e para recuperar ficava muito caro. A segunda noticia e que eu já iria reformular o blog e por isso, não sofri tanto (mas confesso que fiquei arrasada). Tudo tem um proposito e uma hora para acontecer. Aconteceu e eu não vou me lamentar.

As novidades:

  • O blog estará de layout novo a partir de segunda-feira. (21/05)
  • Montei um calendário editorial para o Blog.
  • A partir de 01-07 vamos ter colunistas falando sobre moda, decoração de ambiente infantil e alimentação saudável para as crianças.
  • E vou voltar com a categoria Empreendedoras de Sucesso, porque eu amo contar historias de mulheres que levantam outras mulheres e mudam seus destinos.
  • E a categoria Como criar um Blog também irá voltar, tenho aprendido muito nesses últimos anos e quero dividir com vocês.
  • Tenho uma lista de transmissão para quem me segue la no Instagram e participa do grupo da Fanpage e agora vou abrir para todas nossas seguidoras.

Senti necessidade de fazer algumas mudanças e fazer desse espaço um lugar mais organizado, com informações mais coesas e com qualidade. Publiquei alguns posts que eu tinha para não deixar o blog ilhado e até tenho outros, mas quero colocar informações novas e atualizadas, acho que não faz sentido eu repostar assuntos antigos agora só para ter conteúdo aqui.

Se você não quiser ficar por dentro de tudo que vem por ae, se escreva na nossa newsletter e fique por dentro de todas as informações. Ok?

Xoxo

Jaqueline Medeiros

 

Sling – Amor em forma de pano
Você gosta de ver seus filhos fofos e bonitos?
Larguei o trabalho para ficar com meus filhos e fazer o que eu amo
Página 2 de 3
123
Pular para a barra de ferramentas