Entre Fraldas e Blush

QUAL FILHO É O PREDILETO?

Quando temos o primeiro filho,o nossomundo se volta todinho para ele. Nossos sonhos, projetos, beijos, carinhos eetc. Quando engravidei do Mateus, um filmepassou na minha cabeça e eu tive a sensação de ouvir a todo instante a voz daminha mãe: , “Quando você tiver filhos irá ver que mãe ama tudoigual.” Sempre brigamos por isso, quandoeu era solteira. 

O filho mais querido não existe. Minha mãe sempreme disse. Eu nunca acreditei. Porque a todo o momento eu sentia que ela faziamuito mais para meu irmão do que para mim. É… eu nunca acreditei, até eu ter oMateus.

Escrevi um texto entre lágrimas,porque eu refletia enquanto escrevia. Eu fui questionada por amigas se eu amavamais um que o outro, porque elas perceberam que eu fazia mais para um que parao outro. Não, isso não existe, não há possibilidades de amar menos um filho.Mães, vocês só entenderão o quanto podem realmente amar quando tiverem osegundo, terceiro, quarto ou sei lá quantos filhos. Porque não existe amor quese divida, ele só aumenta.

Segue o texto:

Meus queridos filhos, eu morreria pelos dois.

Mas, em alguns dias, um devocês precisou mais de mim e, por isso, eu mevoltei para um ou para o outro.

Um de vocês chorou com dor e eu precisei deixar ooutro por um instante.

Um estava mais sujo.

Um caiu.

Um não conseguiu colocar o chinelo.

Um não quis comer.

Um não quis dormir.

Um fez birra.

Um fez mais bagunça.

Um é de um jeito e o outro de outro jeito.

Seria tolice se eu fizesse arroz branco para osdois, por exemplo. Porque um gosta dele com legumes e o outro sem nada. Vez ououtra, um ficasem comer arroz em casa, porque eu sou só uma e faço só um tipo de arroz. E eutento convencer que os dois comam o que fiz, mas sem sucesso. E mesmo assim eusigo amando os dois e não o arroz do dia.

Um gosta de branco, o outro de amarelo e,mesmoassim, o maisnovo usa as camisetas do mais velho.

Um ri fácil, parece que o bom humor é seusobrenome, o outro não é de muito papo. E eu respeito e brigo quando criticam apersonalidade de um e elogiam o outro. Eles são assim.

Um é manhoso e o outro não.

E que fique claro, eu amo vocês do mesmo jeito, coma mesma intensidade. Todos os dias, quandovocês adormecem, eu dou um beijo em cada um edigo que são minha vida e é tão forte que doí.

Que fique claro que, se eudei um beijo em um, socorri um e não fiz isso ou aquilo pelooutro, que issosignifique que eu ame vocês diferente, isso não existe. O amor de mãe não podeser medido por gestos, parem de tentar mensurar o amor de mãe, ele éimensurável.

Poderia ter muitos filhos, eu não amaria cada um de um jeito, amaria todos iguais, lutaria por todos, morreria por todos, sonharia por todos, cada um de um jeito, mas com a mesma medida de amor, um amor sem medidas, que ultrapassa a lógica e dispensa que eu continue justificando se amo ou não mais ou menos um dos meus filhos.

Por @jaquelinemedeiiros

Acompanhe nosso instagram do blog @entrefraldaseblush

Bem Vinda a Maternidade Real

Junte-se a outras mães que também estão em busca de conhecer e compreender melhor a si mesmas para se tornarem mães mais presentes e conectadas com seus filhos. Cadastre seu e-mail abaixo gratuitamente.

I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.

O PRÓXIMO FILHO
A GRAVIDEZ <3
O Príncipe da minha vida é banguelo e cheira leite
Pular para a barra de ferramentas