Ciúmes do irmão mais novo! Saiba como ajudar seu filho a superar esse momento!

Em 01.03.2017   Arquivado em CONFISSÕES MATERNAS, CRIANÇAS, MATERNIDADE

Olá meninas, o que me dizem sobre ciumes de irmãos?
Por aqui os meninos estão se entendendo, mas o ciume rola solto e o Davi vez ou outra quer brigar com o neném!
Já o neném acha graça de tudo que o irmão faz.
Tenho tendado dividir meu tempo para não deixar o Davi tão enciumado, mas mesmo assim manter os dois juntos sem nenhuma briga é uma missão quase impossível.

Imagem: Internet

Estudos mostram que é natural e normal que o filho mais velho apresente demonstrações de ciúmes, ressentimento, insegurança, raiva e infelicidade como resposta ao nascimento do novo irmãozinho. O que fica por vezes difícil para os pais entenderem é a maneira pela qual esses sentimentos se expressam:

• Algumas crianças tentam machucar o bebê fisicamente, ou dizem para quem quiser ouvir que eles querem que o bebê vá embora.

• Outras podem demonstrar todo o carinho do mundo para o novo irmãozinho, mas ficam agressivas e hostis com a mãe.

• Podem ficar retraídas, passando a chupar o dedo e a molhar a cama.

• Outras, ainda, podem ter um comportamento ótimo em casa, mas cheio de problemas na escola.

Cada criança apresenta algum tipo de dificuldade diferente relacionada ao irmão:
• A criança pode aceitar o novo irmãozinho sem demonstrar ciúme, mas quando o bebê já estiver com nove meses e quiser pegar seus brinquedos, um ressentimento exacerbado pode aflorar.
• Podem surgir problemas no momento em que a criança mais nova começa a se socializar, faz seus próprios amigos e não depende mais tanto de seu irmão mais velho.
• A criança pode parecer mais popular ou bem sucedida na escola do que o irmão mais velho. Irmãos e irmãs podem ser muito unidos em determinados períodos, mas podem surgir ocasiões em suas vidas em que sentimentos de ciúmes tornam – se um peso para eles.

O que os pais podem fazer?

O comportamento desagradável e desrespeitoso está diretamente relacionado ao medo de deixarem de ser
amados. As crianças precisam da reafirmação do amor neste momento, juntamente com regras mostrando o que podem e o que não podem fazer. Com frequência a resposta dos pais a um mau comportamento confirma
o pior sentimento que as crianças têm – o de que foram substituídas pelo novo irmãozinho e deixaram de ser
amadas. A mensagem que você precisa fazer seu filho entender é a de que ele não é “mau” por sentir-se assim, que você compreende que ele está passando por um momento difícil e que os sentimentos que ele tem fazem com que
se sinta ainda pior. Não importa quão exigente e cansativo este período venha a ser, lembre-se de que você é a mãe (ou pai) e que está em suas mãos a capacidade de quebrar este ciclo. Console-se com o fato de que seu filho confia
tanto no seu amor a ponto de testá-lo até o limite e mostrar para você toda a confusão pela qual está passando. Embora com frequência seja difícil para você administrar essa situação com seu filho e o novo bebê, seu amor incondicional concede a ele uma posição segura para que possa expressar o que sente.

Algumas dicas práticas
• Tente evitar muitas mudanças ao mesmo tempo. Mudar de casa ou iniciar um novo grupo de amiguinhos, por exemplo, são atividades que deveriam ser o mais possível postergadas.
• Não deixe de estimular e mostrar seu apreço por qualquer ajuda ou gesto de amor do seu filho para com o novo bebê, e ignore comportamentos negativos e infantis quando for possível.
• Passe tarefas pequenas e leves para seu filho, para motivar seu relacionamento com o bebê. Não force se a resposta for negativa, mas mostre todo o seu apreço por cada ajuda que receber.
• Procure passar algum tempo só com o seu filho mais velho, sem a presença do bebê, em algum lugar onde possam ler ou brincar só os dois.
• Seja firme com relação a comportamentos negativos, mas sem fazer seu filho sentir-se culpado. Mostre
que o errado é o comportamento, e não ele próprio.
• Tome o cuidado de não cair no hábito de pensar em comportamento “bom” ou “mau” e em crianças “boas” ou “más” na família. Certos mitos são difíceis de serem abandonados.
• Cuidado com sinais de retraimento ou depressão. Compartilhe suapreocupação com o pessoal da escola. Uma criança com dificuldade em demonstrar sentimentos intensos com relação ao seu irmãozinho pode
escondê-los profundamente e precisar de ajuda para poder falar a respeito com alguém que não seja da família.

Créditos: Laboratório de Estudos da Família, Relações de Gênero e Sexualidade do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

E é isso meninas, estou postando nossa rotina no instagram e vou falar mais sobre ciumes entre os meninos por lá!!!

 

Bju bju bju

 

Love, J.<3