DIETA PALEO PARA GESTANTES

Em 28.07.2016   Arquivado em CLUBMAMAESFIT, DIETA PALEOLÍTICA, MATERNIDADE

Dieta paleo para gestantes

Imagem Internet

Imagem Internet

Primeiro vamos esquecer esse nome “dieta” e pensar que gravidez não é doença, e que comida de verdade é pra todo mundo, inclusive para as gravidinhas.

Já ouvi e li tantas mensagens dizendo que é uma dieta restrita, que grávidas precisam se alimentar melhor porque tem que comer pra duas pessoas.

Vamos lá novamente quebrar alguns paradigmas.

Primeiramente uma grávida não precisa se alimentar por duas pessoas, até por que o feto é bem pequenininho e não precisa de tanta comida quanto a mãe, por exemplo, precise no seu dia a dia normalmente. Segundo que não é uma dieta restrita, por que em vegetais, carnes, queijos, castanhas, azeite, óleo de coco e frutas são ricos em todo tipo de vitaminas e minerais que todo nosso organismo precisa.

Sabe qual foi o problema de hoje em dia em achar que produtos industrializados precisam fazer parte da nossa alimentação?

A indústria alimentícia fez um trabalho tão bem feito que ela move milhões em propaganda pra mostrar pro consumidor que aquele produto “integral”, ou os derivados em geral do trigo, tem as fibras que o seu intestino precisa, que aquele iogurte tem os “lactobacilos” necessários para melhorar a flora intestinal, que nutella é rica em ingredientes naturais como o cacau, a amêndoa e o leite, mas que ninguém lembra de contar que também é rico em açúcar, óleo vegetal e que os ingredientes que realmente fazem bem à saúde ocupa pouco por cento na embalagem total, e por aí vai, por que se eu for citar tudo aqui vou escrever um livro de 500 páginas (ou mais) kkkkk.

Agora voltando ao assunto da dieta restrita, pode ser que eu concorde em termos. Como já disse num post passado, que tudo depende do objetivo de cada um.

Se você quer ser mais magrinha (o), tem que diminuir carboidratos.

Se você quer ganhar massa magra, perder gordura localizada, ou seja, diminuir percentual de gordura, a dieta precisa sim ser mais restrita.

Se você quer só emagrecer, precisa cortar até alguns tipos de frutas, pois são ricas em açúcares.

Se você quer ser monstrão (ona), fortão (ona) kkk tem que ter uma dieta diferenciada também.

Agora para grávidas, não precisa de restrição nenhuma quando se trata de comida, que veio da terra, que seja animal, que seja bicho ou planta. Lógico que os hormônios vão mudar o seu corpo, você irá sentir mais fome, provavelmente, então COMA, por que com fome, a gente come, não é mesmo?

Coma todo tipo de carne, sem exceção, até a picanha, e sem tirar a gordura em, porque não devemos evitar a gordura natural dos alimentos. Coma vegetais, ovos, frutas, castanhas e pra encerrar beba um café, sem açúcar, claro. Acredite, com o tempo o paladar muda e você vai acostumando com o sabor natural dos alimentos.

Faça as refeições principais do dia, como café da manhã, almoço, lanche e jantar ou obedecendo a regra de comer quando se tem fome.

Depois deem uma olhada no link da reportagem onde a Deborah Secco fala que ela fez essa dieta durante e depois da gravidez.

http://revistaglamour.globo.com/Celebridades/noticia/2016/05/deborah-secco-fala-sobre-dieta-do-jejum-intermitente-que-deixava-sem-comer-por-ate-23-horas.html

Não tem segredo gente, tem que ter é mudança de hábitos e isso com o tempo tudo se ajeita.

Um beijo grande! Até o próximo post.

Obrigada!

Me sigam nas redes sociais. Snap: isaffilbida/ Instagran: isaffilbida.farma/ Facebook: Isadora Fernandes Fílbida

 

Gravidez Saudável – Motivação

Em 03.06.2016   Arquivado em CLUBMAMAESFIT, CONFISSÕES MATERNAS

Olá meninas, eu havia dado entrada na minha licença maternidade no grupo @clubmamaesfit mas o sedentarismo estava tomando conta de mim e eu comecei a me sentir muito mal e para não desmotivar quero ficar ativa até o Mateus Lucca nascer, nada de corpo mole nessa reta final! Fiz um post curtinho, mas muito verdadeiro motivando outras mulheres que pararam em algum momento a recomeçar e fazer diferente. Nossa saúde e bem estar dependem unicamente de nós e precisamos se dispor para mudança.

Ontem postei o meu almoço no instagram e estou caminhando todos os dias!!! O importante é sempre manter o foco e procurar viver da melhor maneira possível sem detonar seu corpo e alto estima!!!

Espero que gostem!

Segue o post:

motivaçãogravida

“Decidi recomeçar a história. Entretanto preferi substituir o ‘era uma vez’ por ‘é dessa vez’.” Gravidinha aqui, estava acomodando e nas duas últimas semanas meu corpo começou a sentir o meu descaso e o cansaço tomou conta de mim. Claro que eu entrei em pânico! Ontem foi a gota d’água, uma fadiga, falta de ar, sono…sono e mais sono!
Chega! Basta! Hoje não é segunda para começar algum tipo de dieta ou exercício físico, mas hoje é o dia que escolhi para voltar a uma rotina saudável, acordei cedinho e tirei meu tênis da caixa e fui pra rua caminhar. Acreditem, já me sinto renovada. Sempre temos duas escolhas: se entregar ou mudar o cenário que vivemos. Não sou de se entregar, sou otimista, disposta e quero que meu filho chegue cheio de saúde e encontre uma mãe disposta para o pós-parto. Daqui 6 ou 7 semanas o meu pequeno chega e tudo que quero ensinar para ele e para o Davi se resume em uma pensamento: Desistir nunca será a melhor escolha! Tente outra vez, e outras e quantas vezes for preciso, você é capaz e sua vida merece todo esse esforço! Convido você a recomeçar hoje, não importa onde você parou ou porque parou. Você é forte, capaz e só precisa dar o primeiro passo para que a vida se encarregue de te fortalecer! Não espere a segunda-feira. Não espere o momento oportuno ou que as condições estejam favoráveis. Comece HOJE! Bom Dia!! Vamos Juntas!!!
Por Jaqueline Medeiros @jaquelinemedeiiros
#motivação #recomeçar #fé #força #foco #determinação #gravida #33semanas #pregnant #gestante #fit #clubmamaesfit #vamosjuntas #tmj #caminhada #gravidezsaudavel

Xoxo e até o próximo post

Love, J. <3

VOCÊ CONHECE O TRIGO?

Em 02.05.2016   Arquivado em DIETA PALEOLÍTICA

VOCÊ CONHECE O TRIGO?

Trigo

Respondo-te que: NÃO!

Sabe os cereais integrais, feito do trigo que termina com o sufixo “fit” que você acha que é saudável?

Haha, sabe de nada inocente.

Mas vamos falar sério agora.

Viram a referência do livro do Willian Davis – Barriga de Trigo – que eu citei no post passado? É dele mesmo que vou tirar referências.

Já ouviram falar da: “Barriguinha de chopp.”?

Então, cevada é trigo, então automaticamente sua “barriguinha de chop” é trigo (tá aí o nome do livro “Barriga de Trigo”). Você ingere pão líquido e nem sabia (é pra rir né?).

Mas não é não. Isso é mais sério do que pensamos, não só pelo fato de criar “barriguinha”. Uma “barriga de trigo” aciona a insulina, que é o hormônio responsável pela deposição de gordura, tanto na barriga, quanto no bumbum e coxas, que é resultado de anos ingerindo produtos derivados do trigo. Além disso, essa gordura acumulada na barriga, mais conhecida como “visceral” ou “central”, tem características exclusivas como, provocar processos inflamatórios, alterar as respostas insulínicas e emitir sinais metabólicos anormais para o resto do corpo, sem contar que de algum modo em potencial o trigo atinge quase todos os nossos órgãos (como o fígado, coração, glândula tireóide e os do sistema nervoso) de forma prejudicial.

O trigo se tornou um símbolo nacional de saúde, onde as indústrias alimentícias nos dizem: “Comam mais grãos integrais, é mais saudável.”; e ainda tem as versões “boas para o coração”, repletas de grãos integrais de todos os produtos que mais gostamos originados do trigo.

Mas aí vem uma dúvida: “Porque ele faz esse mal todo?”, “Porque Jesus repartiu o pão na Santa Ceia?”, “Porque todo o mundo come pães e produtos derivados do trigo?”, “Na Bíblia está escrito: Uma terra de trigo e cevada, de vinhas.”, “Na nossa oração de cada dia: O pão nosso de cada dia nos dai hoje.”.

Vamos as respostas!

Primeiro o pão que você come hoje não é do mesmo trigo da época de Jesus Cristo, não é o mesmo que sai dos nossos fornos de hoje em dia. Desde as linhagens originais de gramíneas silvestres, colhidas pelo homem primitivo, o trigo acabou desenvolvendo mais de 25 mil variedades, praticamente todas resultantes da intervenção humana.

Por volta de 8500 a.C., o trigo crescia espontaneamente em planícies abertas, onde se colhiam o antepassado do trigo moderno, o einkorn (espécie: Triticum monococcum.), e foi onde se assinalou o início da agricultura.

Após 10 mil anos quando o trigo ganhou lugar na mesa dos seres humanos, que começou como o trigo einkorn, passou à espécie conhecida como emmer, seguida pela espécie cultivada Triticum aestivum, o trigo mudou muito pouco, sofrendo apenas alterações pequenas e irregulares. O trigo do século XVII era igual ao trigo do século XVIII, que por sua vez era praticamente o mesmo trigo do século XIX e da primeira metade do século XX. Tentativas rudimentares de cruzar as variedades do trigo, pelo método de tentativa e erro, geravam modificações cumulativas ano após ano, algumas bem-sucedidas, a maioria não.

Durante o século XIX e no inicio do XX, assim como nos séculos anteriores, o trigo teve mais algumas mudanças. A farinha que sua avó usava na década de 1940, não era muito diferente da que a sua bisavó usava sessenta anos antes e nem tão diferente das que usavam há 200 anos antes. No século XX, a moagem do trigo tinha se tornado mais mecanizada e era realizada em maior escala, produzindo uma farinha mais fina, cuja composição básica, porém, praticamente não se alterava.

Tudo isso acabou a partir da segunda metade do século XX, quando uma revolução nos métodos de hibridização transformou esse cereal. O que hoje tomamos por trigo não é a mesma coisa, o trigo mudou, mais não por meio de forças naturais, como secas ou doenças, em uma luta darwiniana pela sobrevivência, e sim por meio da intervenção humana. Como resultado, o trigo sofreu uma transformação mais drástica, transformando-se em algo totalmente singular, quase irreconhecível, e ainda assim, atendendo pelo mesmo nome: trigo.

A produção do trigo comercial moderno concentrou-se em atender a determinadas características, como o aumento da produção em larga escala de uma mercadoria financeiramente estável. Durante todo esse tempo, praticamente ninguém se perguntou se essas propriedades eram compatíveis com a saúde humana.

Resultado: um pão, um biscoito ou uma panqueca de hoje são diferentes de seus equivalentes de mil anos atrás, diferente até mesmo daqueles que nossas avós faziam. Talvez até tenham a mesma aparência, o mesmo sabor, mas são diferentes bioquimicamente. Pequenas mudanças na estrutura das proteínas do trigo podem significar a diferença entre uma resposta imunológica devastadora a essas proteínas e absolutamente nenhuma resposta.

O trigo ele se adapta facilmente a várias condições ambientais, então a sua produção é bem facilitada.

Agora aos conhecedores de genética, vou explicar a mudança dos cromossomos do trigo. Ou mesmo quem não entende muito, vai dar pra entender kkkk.

O primeiro trigo silvestre, mais tarde cultivado, foi o einkorn, o tataravô de todas as variedades subsequentes. Entre todos os trigos, o einkorn, com apenas 14 cromossomos, tem o código genético mais simples. Por volta de 33oo a.C., o einkorn, resistente e tolerante ao frio, era um cereal popular na Europa.

Pouco depois dos primeiros cultivos do trigo einkorn, a variedade emmer do cereal, cruzamento natural do einkorn, com uma gramínea silvestre parente distante do trigo, a Aegilops speltoides, surgiu no Oriente Médio. O código genético dessa gramínea foi acrescentado ao do einkorn e o resultado foi o trigo emmer, mais complexo, com 28 cromossomos. Plantas como o trigo têm a capacidade de preservar a soma dos genes de seus antepassados.

Vamos fazer uma comparação aqui pra ficar fácil de entender.

Pense se um casal tiver um filho e em vez de chegar a um total de 46 cromossomos (23 do pai e 23 da mãe), eles se somassem totalizando 92 cromossomos no filho? É só pensar nas deficiências que existem por mudanças genéticas, tanto com falta de cromossomos quanto por exceção deles.

Em algum momento dos milênios antecedentes aos tempos bíblicos, o trigo emmer (Triticum turgidum), que tem 28 cromossomos, cruzou naturalmente com outra gramínea, a espécie Triticum tauschii, gerando o Triticum aestivum ancestral, com 42 cromossomos, geneticamente o mais semelhante ao que atualmente chamamos de trigo. Como contém 42 cromossomos, o conteúdo cromossômico total de três plantas diferentes, ele é o mais complexo em termos genéticos. É, portanto, o mais “maleável” do ponto de vista genético, o que será útil aos geneticistas nos milênios seguintes.

Com o tempo, a espécie Triticum aestivum, que tem maior produtividade e é a mais adequada à panificação, foi aos poucos tomando o lugar de seus antepassados, o trigo einkorn e o emmer.

Atualmente o einkorn, o emmer e as linhagens originais de Triticum aestivum, silvestres e cultivadas, foram substituídos por milhares de descendentes modernos, criados pelo ser humano, tanto de Triticum aestivum como de Triticum durum (usado para fazer macarrão) e de Triticum compactum (usado na produção de farinhas finíssimas utilizadas para fazer cupcakes e outros produtos). Para encontrar hoje einkorn ou emmer, você precisaria procurar coleções limitadas de grãos silvestres ou modestas plantações dispersas pelo Oriente Médio, sul da França e norte da Itália. Graças às hibridações modernas projetadas pelos seres humanos, as espécies atuais de Triticum estão a centenas, talvez milhares de genes de distância do trigo einkorn original, de ocorrência espontânea.

O trigo Triticum de hoje é produto de cruzamentos destinados a gerar plantas mais produtivas e com determinadas características, como a resistência a doenças, à seca e ao calor. Na realidade, o trigo foi tão modificado pelo ser humano que as linhagens modernas não conseguem sobreviver sozinhas na natureza, necessitando de cuidados como a fertilização com nitratos e os defensivos agrícolas.

Com todas essas mudanças, foram surgindo novas proteínas do glutén, essas mesmas que não estavam presentes nas outras linhagens que prejudicam a nossa saúde tanto quanto as mudanças genéticas do trigo.

Sei que o assunto é um pouco chato e cansativo, mas é muito sério. E olha que não coloquei nem ¼ do que o livro nos mostra.

Tenho uma ótima notícia pra quem não tem dinheiro pra comprar o livro. Sei que a crise ta feia pra todo mundo né, então vai lá o link do livro em PDF.

http://lelivros.online/book/baixar-livro-barriga-de-trigo-william-davis-em-pdf-epub-e-mobi/

Não deixem de ler. Vocês vão se surpreender com o que essa maldita gramínea pode causar no nosso organismo. Lá no final ainda tem algumas receitinhas bastante gostosas.

Um beijo grande e abraço apertado! Até o próximo post.

Obrigada!!

Me sigam nas redes sociais. Lá tiro bastante dúvida.

Snap: isaffilbida

Instagran: isaffilbida.farma

Facebook: Isadora Fernandes Fílbida.