Retorno ao trabalho!!!

Em 22.02.2017   Arquivado em CONFISSÕES MATERNAS, MATERNIDADE

Oi lindonas do meu coração, desculpem o sumiço, mas estou sem internet há mais de um mês e venho cuidando somente do instagram com meus dados de rede do celular. Já estamos contratando uma nova net e logo logo tudo voltara ao normal, palavra de mãe!

Na verdade hoje vim contar uma novidade muito importante para mim e que eu gostaria de dividir com vocês! Na próxima semana eu estarei retomando minha carreira em uma usina aqui da minha região, estou imensamente grata a Deus que permitiu que tudo acontecesse na hora certa. Quando o Mateus nasceu eu já tinha planos de voltar a trabalhar, mas quis esperar um pouco e no inicio desse ano percebi que estava pronta para começar a  jornada em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. Conheci muita gente do bem, muita gente “anjo” e graças aos cuidados de Deus tudo deu certo.

Quando a mãe que sou nasceu, eu me dei conta que nasci para ser mãe, mas sempre deixei claro o meu imenso amor pela minha profissão, foram inúmeros anos estudando e muitos sonhos envolvidos em quase 26 anos entre escola e faculdade. Em algum momento eu cheguei pensar em deixar tudo para ser somente mãe, mas os dias me mostraram o quanto eu seria infeliz se não fizesse o que amava, que eu não perderia o cargo de mãe se continuasse lutando por minha carreira, meus sonhos, meus projetos. Claro que hoje os sonhos e projetos são outros, mas minha realização profissional ainda continua dentro de tudo que almejo para minha vida. Quero que meus filhos tenham orgulho em dizer: Minha mãe é Engenheira, Mãe e Blogueira rs! (Porque escrever, mesmo que eu não escreva tão bem, é algo que também amo.)

Portanto, em breve quero contar como será toda adaptação no trabalho. Meus pais e os pais do meu esposo vão ajudar com os meninos e isso me deixa muito feliz, saber que meus filhos estarão bem amparados enquanto trabalho. Davi começou a estudar para não sobrecarregar os avôs e para começar a se socializar, ele fica muito sozinho, sempre com adultos, nunca tem uma criança para brincar e ate o irmãozinho crescer acredito que a escolinha é o melhor caminho! Preciso de um tempo para contar como esta sendo a adaptação dele, mas já adianto, é punk rs.

Gente tem muito assunto, muita coisa que preciso dividir com vocês, tudo que venho aprendendo com os meninos. Mateus já engatinha, levanta em tudo e come muito. Foi confirmado que o Davi tem alguma alergia, mas não conseguimos identificar o causador. Ainda faremos mais exames, enfim… assunto é o que não falta.

Assim que nossa internet for instalada eu me comprometo a escrever aos sábados um resumo da nossa semana e sempre estou postando sobre nossa rotina diária no instagram, me sigam lá. Eu gosto de interagir com vocês por lá. Depois dos meus expedientes vou continuar com as postagens diárias sobre assuntos relacionados a maternidade.

Quero deixar esse espaço para vocês contarem sobre o que vocês acham sobre o retorno ao trabalho depois dos filhos e como vocês e seus filhos encararam esse momento.

Beijos no coração e até!!!

www.instagram.com/entrefraldaseblush

Love, J. <3

LICENÇA MATERNIDADE – SALÁRIO MATERNIDADE

Em 26.06.2016   Arquivado em CRIANÇAS, MATERNIDADE

Licença maternidade – Salário Maternidade

Olá, lindas do meu coração!

O nascimento dos nossos filhos é o momento mais esperado de toda a gestação. Mas junto com ele nascem todas as duvidas e incertezas do nosso futuro. Quando estamos trabalhando a imprecisão do que está por vir depois do retorno, também é um fator que entra em  divergência dentro de nós! E quando estamos desempregadas as duvidas são ainda maiores!!!

Hoje vamos falar sobre um direito que mulheres que trabalham ou já trabalharam de carteira assinada tem depois do nascimento dos filhos.
12383244_691995494274286_312466489_n

Segundo a Previdência Privada: “O salário-maternidade é um benefício pago às seguradas que acabaram de ter um filho, seja por parto ou adoção, ou aos segurados que adotem uma criança.

Assim que eu engravidei do Mateus, algumas amigas me orientaram a entrar em contato com o INSS para saber se eu tinha direito a Licença Maternidade, já que havia saído há pouco tempo do trabalho. A seguir segue todos os esclarecimentos que encontrei no site da Previdência Privada.

PRINCIPAIS REQUISITOS

Para ter direito ao salário-maternidade, o(a) beneficiário(a) deve atender aos seguintes requisitos na data do parto, aborto ou adoção:

  • Quantidade de meses trabalhados (carência)
    • 10 meses:para a trabalhadora Contribuinte Individual, Facultativa e Segurada Especial.
    • isento:para seguradas Empregada de Microempresa Individual, Empregada Doméstica e Trabalhadora Avulsa (que estejam em atividade na data do afastamento, parto, adoção ou guarda com a mesma finalidade).
  • Para as desempregadas:é necessário comprovar a qualidade de segurada do INSS e, conforme o caso, cumprir carência de 10 meses trabalhados.

QUALIDADE DE SEGURADA DO INSS

O que é?

A qualidade de “segurado do INSS” é atribuída a todo e qualquer cidadão que se torna filiado do INSS (RGPS), ou seja, possui uma inscrição e efetua recolhimentos mensais a título de previdência social.

São considerados segurados do INSS aqueles na condição de Empregado, Trabalhador Avulso, Empregado Doméstico, Contribuinte Individual, Segurado Especial e Facultativo.

Esta denominação deve-se ao fato da sigla “INSS” ser a abreviação de Instituto Nacional do “Seguro” Social e portanto, ser considerada uma seguradora pública que oferece benefícios previdenciários a título de aposentadorias e pensões, além de benefícios de auxílio-doença e outros para momentos em que o cidadão fica impossibilitado de exercer suas atividades laborativas ou cotidianas.

 

Manutenção da qualidade

Todos os filiados ao INSS em uma das categorias listadas acima e, enquanto estiverem efetuando recolhimentos mensais a título de previdência, automaticamente estarão mantendo esta qualidade, ou seja, continuam na condição de “segurado” do INSS.

Entretanto, a legislação determina que mesmo em algumas condições sem recolhimento, estes filiados ainda irão manter esta qualidade, o que é denominado “periodo de graça”, vejamos:

  1. sem limite de prazo enquantoo cidadão estiver recebendo benefício previdenciário, como auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, bem como auxílio-acidente ou auxílio-suplementar;
  2. até 12 (doze) meses após o término de benefício por incapacidade (por exemplo auxílio-doença), salário maternidade ou do último recolhimento realizado para o INSS quando deixar de exercer atividade remunerada (empregado, trabalhador avulso, etc) ou estiver suspenso ou licenciado sem remuneração;
  3. até 12 (doze) meses após terminar a segregação, para os cidadãos acometidos de doença de segregação compulsória;
  4. até 12 (doze) meses após a soltura do cidadão que havia sido detido ou preso;
  5. até 03 (três) meses após o licenciamento para o cidadão incorporado às forças armadas para prestar serviço militar;
  6. até 06 (seis) meses do último recolhimento realizado para o INSS no caso dos cidadãos que pagam na condição de “facultativo”

Os prazos que foram listados acima começam a ser contados no mês seguinte à data do último recolhimento efetuado ou do término do benefício conforme o caso. Os prazos ainda poderão ser prorrogados conforme situações específicas:

  1. mais 12 (doze) meses caso o cidadão citado no citado no item 2 da lista anterior, tiver mais de 120 contribuições consecutivas ou intercaladas mas sem a perda da qualidade de segurado. Caso haja a perda da qualidade, o cidadão deverá novamente contar com 120 contribuições para ter direito a esta prorrogação;
  2. mais 12 (doze) meses caso tenha registro no Sistema Nacional de Emprego – SINE ou tenha recebido seguro-desemprego, ambos dentro do período que mantenha a sua qualidade de segurado;
  3. mais 06 (seis) meses no caso do cidadão citado no item 6 da lista anterior e que tenha por último recebido salário-maternidade ou benefício por incapacidade.

Se você também se encaixar em alguma dessas condições terá direito ao beneficio.

Segue a duração para o beneficio para cada situação.

Duração do benefício

A duração do salário-maternidade dependerá do tipo do evento que deu origem ao benefício:

  • 120 (cento e vinte) dias no caso de parto;
  • 120 (cento e vinte) dias no caso de adoção ou guarda judicial para fins de adoção, independentemente da idade do adotado que deverá ter no máximo 12 (doze) anos de idade.
  • 120 (cento e vinte) dias, no caso de natimorto;
  • 14 (quatorze) dias, no caso de aborto espontâneo ou previstos em lei (estupro ou risco de vida para a mãe), a critério médico.

 

Documentos necessários

Para ser atendido nas agências do INSS você deve apresentar um documento de identificação com foto e o número do CPF. Você também deve apresentar suas carteiras de trabalho, carnês e outros comprovantes de pagamento ao INSS.

  • Atrabalhadora desempregada deve, obrigatoriamente, apresentar a certidão de nascimento (vivo ou morto) do dependente.
  • A trabalhadora que se afasta 28 dias antes do parto deve apresentar atestado médico original, específico para gestante.
  • Em caso de guarda, deve apresentar o Termo de Guarda com a indicação de que a guarda destina-se à adoção.
  • Em caso de adoção, deverá apresentar a nova certidão de nascimento expedida após a decisão judicial.

 

SOBRE O VALOR A SER RECEBIDO

O que é

O cálculo do valor do benefício de Salário-maternidade, é a forma como os sistemas do INSS estão programados para cumprir o que está previsto na legislação em vigor e definir o valor inicial que vai ser pago mensalmente ao cidadão em função do benefício a que teve direito.

É importante frisar que não há qualquer intervenção manual no cálculo do valor do benefício, uma vez que este valor é obtido a partir das informações constantes no cadastro de vínculos e remunerações de cada cidadão armazenados no banco de dados denominado CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais.

 

Legislação

A forma de cálculo do Salário-maternidade, está definida nos artigos 71 a 73 da Lei 8.213/91.

  • Para a empregada ou trabalhadora avulsa, a Lei determina que o valor do benefício seja no mesmo valor da sua remuneração integralequivalente a um mês de trabalho. O valor máximo a ser pago, deverá obedecer o limite fixado no artigo 37, XI da Constituição Federal, nos termo do artigo 248 do mesmo diploma legal.
    • Caso a remuneração da empregada ou trabalhadora avulsa seja, parcialmente ou totalmente variável, será obedecido ainda o seguinte critério:
      • será considerada a média aritmética simples dos 6 últimos salários, apurada de acordo com o valor definido par a categoria profissional em lei ou dissídio coletivo, excetuando-se para esse fim, o décimo terceiro-salário, adiantamento de férias, e as rubricas constantes do parágrafo 9º do artigo 214 do Decreto 3.408/99.
      • entende-se como parcialmente variável, a remuneração constituída de parcelas fixas e variáveis.
      • entende-se como variável, a remuneração constituída somente de parcelas variáveis.
    • Para a empregada doméstica(em atividade), a Lei determina que o valor do benefício seja no mesmo valor do seu último salário de contribuição. Neste caso, deverão ser observados o limite mínimo e máximo do salário de contribuição ao INSS.
    • Para a segurada especialserá o valor de 01 (hum) salário mínimo por mês de benefício. Caso efetue contribuições facultativamente, será o valor de 1/12 avos da soma dos 12 últimos salários de contribuição apurados em um período não superior a 15 meses.
    • Para os demais casos como contribuinte individual, facultativo e desempregadaem período de graça, em 1/12 avos da soma dos últimos 12 últimos salários de contribuição apurados em período não superior a 15 meses.

*O chamado “período de graça” é o prazo no qual o cidadão, mesmo sem estar fazendo recolhimentos ao INSS, ainda mantêm a sua condição de “segurado do INSS”, ou seja, pode ter direito a algum benefício conforme o caso mesmo estando sem atividade e sem realizar contribuições.

 

Forma de cálculo

Os sistemas do INSS, quando for o caso, irão efetuar o cálculo de valor do salário-maternidade da seguinte maneira: Exemplo 1: a  cidadã é contribuinte individual ou Facultativa ou Desempregada

possui recolhimentos nos últimos 15 meses no valor do salário mínimo

soma dos últimos 12 recolhimentos = R$ 8.880,00 (abril/2014 a 03/2015)

1/12 avos da soma = R$ 740,00

Renda Mensal Inicial = R$ 788,00

*Neste exemplo, houve a chamada equiparação ao valor do salário mínimo, uma vez que o texto da lei não permite neste caso que o valor do benefício seja inferior ao valor do salário mínimo vigente que é de R$ 788,00 em 01/2015

 

Exemplo 2: a  cidadã é Empregada Doméstica

Última contribuição ao INSS = R$ 788,00

Renda Mensal Inicial = R$ 788,00

*Legislação determina que o valor do benefício será com base no último salário de contribuição

 

Exemplo 3: a  cidadã é Trabalhadora Avulsa ou Empregada (adoção judicial) e recebe por remuneração variável

possui recolhimentos como Empregada/Avulsa

média dos últimos 6 recolhimentos = R$ 1.950,00

Renda Mensal Inicial = R$ 1.950,00

 

 

TODAS AS INFORMAÇÕES FORAM RETIRADAS DO SITE DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

Espero que tenha ajudado. Qualquer duvida entre em contato com o serviço pelo 135.

Bju bju bju

 

Love, J. <3