O doce prazer de ser Madrasta

Em 28.03.2016   Arquivado em RELACIONAMENTO

Olá meninas!

No post de hoje vamos falar de um assunto bem comum, porém pouco falado, pois é uma área delicada que muitas de nós não sabemos lidar muito bem.

Madrasta x enteados…. como manter uma relação saudável com os filhos de seu marido?

IMG-20160324-WA0015[1]

 

Os contos de fada sempre passaram uma imagem negativa das madrastas, “Cinderela” e “Branca de Neve”  da Disney são os mais conhecidos. Mas não se enganem, existem madrastas que são verdadeiras mães e amigas de seus enteados.

Mas afinal… o que devo fazer para ter um bom relacionamento com os filhos do meu parceiro?

Apesar da minha pouca idade, eu já passei por algumas experiências relacionadas a isso, com certeza você que é madrasta vai se identificar com alguma delas. Vou contar para vocês como foram essas experiências e como consegui estabelecer um ótimo relacionamento com minhas 2 enteadas.

Há alguns anos atrás eu me relacionei com um homem que tinha 2 filhas, confesso que foi uma das piores experiências da minha vida, eu ainda era muito nova, inexperiente, não tinha maturidade suficiente para me posicionar nesse tipo de relação, mas apesar de tudo eu tentei fazer o que estava ao meu alcance para ter uma boa convivência com as meninas, eu sempre tive consciência de que elas viviam em meio a uma guerra entre os pais e isso acabou as ferindo muito, nunca as culpei por nada. Devido a minha imaturidade e ao péssimo relacionamento que eu tinha com a mãe delas, ser amiga das meninas era algo quase impossível.  Foi uma experiência difícil, eu fiz o que eu pude para conquistá- las, cuidava quando elas estavam conosco, dava presentes, brincava, levava para passear entre outras coisas, e na maioria das vezes tudo que eu recebia em troca eram ofensas do tipo: minha mãe não gosta de você, minha mãe disse que eu não posso gostar de você, minha mãe disse que não posso te abraçar e por aí vai…

Infelizmente isso é comum nos casos onde os pais se separam e se tornam inimigos, na maioria das vezes eles usam os filhos para atingir uns aos outros, mas se esquecem que os maiores prejudicados nisso tudo são os próprios filhos. As crianças não são culpadas pelos erros dos pais, elas são apenas crianças e devem ser privadas dessas brigas.

Depois dessa experiência ruim que eu vivi, concluí que a relação com os nossos enteados dependem muito do tipo de relação que você mantém com a mãe deles, se for um relacionamento amigável com certeza você terá mais facilidade para se aproximar deles, caso contrario terá um pouquinho de dificuldade, mais isso não significa que vocês não podem se dar bem. Se for possível, faça um esforço para ter uma convivência com a ex de seu marido, sei que isso não é fácil e não depende só de você, mas se você amar seu enteado, o esforço valerá a pena. Caso isso não seja possível, meu conselho para quem está se relacionando com um homem divorciado (mesmo que não tenha filhos) é que você não compre brigas que não são suas. Na maioria dos casos onde o casal se separa por infidelidade, sempre haverá uma mágoa da parte que foi traída, isso não lhe diz respeito, deve ser tratado com psicólogo e não com você, você só vai se desgastar, se ferir, se frustrar e no fim não vai resolver nada. Poupe-se das brigas de seu namorado/marido com a ex dele, deixe que eles resolvam o problema deles sozinhos e evite constrangimentos. Experiência própria!

……

Bom, logo após o término desse relacionamento complicado que tive, comecei a namorar com meu atual marido, eu já o conhecia há algum tempo e confesso que tive receio em namora – lo justamente por que sabia que ele também tem 2 filhas, e pra complicar ainda mais, cada filha de uma mãe diferente kkk JESUSSS

Mas a vida as vezes nos surpreende, todo esse receio foi em vão, minhas 2 enteadas são uns amores. Acredito que esse crédito eu devo as mães e ao pai, que de forma alguma deixou que uma separação prejudicasse suas filhas. Tenho um ótimo relacionamento com as duas ex de meu esposo. Uma delas não mora na mesma cidade que nós (Danielle) e isso acabou distanciando um pouco a filha de nós, mas isso nunca foi um problema, sempre que dá  nós a buscamos, aproveitamos o fim de semana com ela e depois a levamos de volta. A compreensão da mãe sempre foi fundamental para nós.

Sou muito apegada a mais nova (Ana Laura)  pelo fato de que ela mora na mesma cidade que nós (mas isso não diminui o amor que sinto pela outra), e experimentar um amor de mãe sem ser mãe é algo incrível, você sente a necessidade de cuidar, de proteger, de amar e recebe tudo de volta em forma de carinho gratuito. As vezes até esqueço que ela é minha enteada, nos tornamos amigas. Saímos juntas, conversamos, nos divertimos, ela usa minhas roupas e minhas maquiagens e destrói tudo, mas nem por isso fico chateada com ela, ensino muita coisa a ela e aprendo muito com ela também. Nunca discutimos por nada, ela é minha companheira, minha amiga, minha irmã, minha filha…. eu a amo muito e sei que é recíproco.

Sei que não é fácil chegar a esse nível e acredito que como em tudo na vida precisa de limites, esse tipo de relacionamento também exige isso.

Pensando nisso vou deixar algumas dicas que funcionaram comigo e tenho certeza que vão funcionar com vocês também:

  • NÃO ASSUMA UM PAPEL QUE NÃO É SEU

Mesmo que você ame muito seu enteado, entenda que você não é a mãe dele. Não tente educá-lo da forma que você acha certo, não desautorize uma ordem dada pela mãe (ex. um castigo). O certo é você definir o seu lugar desde o início para evitar problemas futuros.

  • JAMAIS FALE MAL DA MÃE DE SEU ENTEADO PARA ELE

Tente se controlar, mesmo que você tenha motivos para falar da ex de seu parceiro, nunca fale isso perto da criança, isso dá a entender que vocês são inimigas e entre você e a mãe, certamente a criança vai ficar do lado da mãe.

  • NÃO DISPUTA A ATENÇÃO DE SEU PARCEIRO COM OS FILHOS DELE

Por incrível que pareça isso é algo muito comum. O amor que seu parceiro sente pelos filhos é bem diferente do amor que ele sente por você, não há necessidade de disputa- lo. É natural que a criança sinta ciúme de você com o pai também, seja adulto e não caia nas provocações dele.

  • SEJA AGRADÁVEL COM ELES

Mesmo que eles não retribuam de imediato o afeto, insista em agradá-los, isso vai fazer você ganhar a confiança deles. É importante lembrar que esse processo pode demorar, tenha paciência e esteja preparada para ouvir algumas ofensas do tipo: você não é minha mãe!

– já houve várias situações em que minhas enteadas querem ir para determinado lugar e o pai delas não quer, eu entro em favor delas mesmo não querendo ir no lugar que elas escolheram, isso faz um efeito tão grande a meu favor que faz tudo valer a pena rsrs funciona!

Enfim meninas…

 Essas dicas foram essenciais para eu conseguir ter um bom relacionamento com minhas enteadas e com as mães delas. E por conseqüência disso evitar problemas com meu marido também.

Eu amo minhas pequenas não só por que elas são filhas da pessoa que eu amo, eu as amo pelo que elas são e pela amizade pura, sincera e verdadeira que construímos ao longo desses anos.

Meu desejo é que todas as MADRASTAS possam experimentar esse sentimento gostoso.

 

Vale a pena tentar!

 

Bjos JOSY <3

IMG-20160324-WA0016[1]

IMG-20160324-WA0018[1]

IMG-20160324-WA0017[1]