Ciúmes do irmão mais novo! Saiba como ajudar seu filho a superar esse momento!

Em 01.03.2017   Arquivado em CONFISSÕES MATERNAS, CRIANÇAS, MATERNIDADE

Olá meninas, o que me dizem sobre ciumes de irmãos?
Por aqui os meninos estão se entendendo, mas o ciume rola solto e o Davi vez ou outra quer brigar com o neném!
Já o neném acha graça de tudo que o irmão faz.
Tenho tendado dividir meu tempo para não deixar o Davi tão enciumado, mas mesmo assim manter os dois juntos sem nenhuma briga é uma missão quase impossível.

Imagem: Internet

Estudos mostram que é natural e normal que o filho mais velho apresente demonstrações de ciúmes, ressentimento, insegurança, raiva e infelicidade como resposta ao nascimento do novo irmãozinho. O que fica por vezes difícil para os pais entenderem é a maneira pela qual esses sentimentos se expressam:

• Algumas crianças tentam machucar o bebê fisicamente, ou dizem para quem quiser ouvir que eles querem que o bebê vá embora.

• Outras podem demonstrar todo o carinho do mundo para o novo irmãozinho, mas ficam agressivas e hostis com a mãe.

• Podem ficar retraídas, passando a chupar o dedo e a molhar a cama.

• Outras, ainda, podem ter um comportamento ótimo em casa, mas cheio de problemas na escola.

Cada criança apresenta algum tipo de dificuldade diferente relacionada ao irmão:
• A criança pode aceitar o novo irmãozinho sem demonstrar ciúme, mas quando o bebê já estiver com nove meses e quiser pegar seus brinquedos, um ressentimento exacerbado pode aflorar.
• Podem surgir problemas no momento em que a criança mais nova começa a se socializar, faz seus próprios amigos e não depende mais tanto de seu irmão mais velho.
• A criança pode parecer mais popular ou bem sucedida na escola do que o irmão mais velho. Irmãos e irmãs podem ser muito unidos em determinados períodos, mas podem surgir ocasiões em suas vidas em que sentimentos de ciúmes tornam – se um peso para eles.

O que os pais podem fazer?

O comportamento desagradável e desrespeitoso está diretamente relacionado ao medo de deixarem de ser
amados. As crianças precisam da reafirmação do amor neste momento, juntamente com regras mostrando o que podem e o que não podem fazer. Com frequência a resposta dos pais a um mau comportamento confirma
o pior sentimento que as crianças têm – o de que foram substituídas pelo novo irmãozinho e deixaram de ser
amadas. A mensagem que você precisa fazer seu filho entender é a de que ele não é “mau” por sentir-se assim, que você compreende que ele está passando por um momento difícil e que os sentimentos que ele tem fazem com que
se sinta ainda pior. Não importa quão exigente e cansativo este período venha a ser, lembre-se de que você é a mãe (ou pai) e que está em suas mãos a capacidade de quebrar este ciclo. Console-se com o fato de que seu filho confia
tanto no seu amor a ponto de testá-lo até o limite e mostrar para você toda a confusão pela qual está passando. Embora com frequência seja difícil para você administrar essa situação com seu filho e o novo bebê, seu amor incondicional concede a ele uma posição segura para que possa expressar o que sente.

Algumas dicas práticas
• Tente evitar muitas mudanças ao mesmo tempo. Mudar de casa ou iniciar um novo grupo de amiguinhos, por exemplo, são atividades que deveriam ser o mais possível postergadas.
• Não deixe de estimular e mostrar seu apreço por qualquer ajuda ou gesto de amor do seu filho para com o novo bebê, e ignore comportamentos negativos e infantis quando for possível.
• Passe tarefas pequenas e leves para seu filho, para motivar seu relacionamento com o bebê. Não force se a resposta for negativa, mas mostre todo o seu apreço por cada ajuda que receber.
• Procure passar algum tempo só com o seu filho mais velho, sem a presença do bebê, em algum lugar onde possam ler ou brincar só os dois.
• Seja firme com relação a comportamentos negativos, mas sem fazer seu filho sentir-se culpado. Mostre
que o errado é o comportamento, e não ele próprio.
• Tome o cuidado de não cair no hábito de pensar em comportamento “bom” ou “mau” e em crianças “boas” ou “más” na família. Certos mitos são difíceis de serem abandonados.
• Cuidado com sinais de retraimento ou depressão. Compartilhe suapreocupação com o pessoal da escola. Uma criança com dificuldade em demonstrar sentimentos intensos com relação ao seu irmãozinho pode
escondê-los profundamente e precisar de ajuda para poder falar a respeito com alguém que não seja da família.

Créditos: Laboratório de Estudos da Família, Relações de Gênero e Sexualidade do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

E é isso meninas, estou postando nossa rotina no instagram e vou falar mais sobre ciumes entre os meninos por lá!!!

 

Bju bju bju

 

Love, J.<3

Para as mães de Primeira Viagem do Segundo Filho!

Em 15.01.2017   Arquivado em CONFISSÕES MATERNAS

Para as mães de primeira viagem do segundo filho!

Não existe uma regra sobre certo ou errado. Mas também não existe um manual dizendo faça diferente com o segundo filho que o que deu errado no primeiro dará certo no segundo.

Tudo é uma questão de bom senso.

Tenho dois filhos, tudo foi diferente:

O parto foi diferente, a recuperação do parto.

Um não teve cólica o outro chorou mais de 40 dias e eu fiquei sem dormir.

Os dois nasceram cabeludos, mas teve um que ficou quase careca depois.

Um sentou com oito meses o outro com seis.

E eles continuam apresentando características diferentes, porque eles não são as mesmas pessoas. Cada um precisa de um cuidado, cada um precisou e irá precisar de um olhar diferente sobre eles. O caçula só dorme no colo, o mais velho sempre dormiu sozinho! Um abandonou o peito aos cinco meses e eu tenho a leve impressão que o outro vai mamar na teta até os três anos se deixar. E eu os amo da mesma maneira, com a mesma intensidade. Quando o mais novo nasceu a magia do amor multiplicou tudo que havia dentro de mim e hoje eu tenho dois corações que batem fora do peito e que me fazem ser a mulher mais feliz do mundo.

 

Mas no segundo filho você aprende umas lições, faz algumas coisas certas e milhares erradas. Deixa o mais velho sem tomar banho porque não deu tempo e também dorme sem banho. Equilibra-se entre duas mamadeiras, mas se desespera quando os dois choram ao mesmo tempo. Então, se eu em algum momento pensei que soubesse como era ser mãe, nesses acontecimentos corriqueiros tenho certeza que ainda não sei nada. Que o provável manual que tenta ser expressa em trilhões de artigos dizendo como ser mãe, trocar, amamentar, dar comida, rotina de sono, birra, terrível two e etc. não tem nada dizendo que pela segunda vez você sentira todas as inseguranças da primeira e agora precisara fingir que não as sente.

 

A cobrança é grande e a falta de empatia das pessoas que estão fora do seu circulo familiar é gigantesca. Chegam para você e dizem: Bom que você já está craque, você já sabe como funciona, né? Não, não sabemos, afinal, é a primeira vez que tenho um segundo filho e sempre será assim nos próximos para todas as mães. É a idade de que muda, a rotina, o time, cada filho chega em uma época, raros na mesma estação e mesmo assim são episódios diferentes, alguns com pais diferentes, com dores diferentes.

 

Hoje eu só quero ser compreendida! Que todos entendam que e eu e outras inúmeras mães sempre estaremos na primeira viagem do filho que está para chegar. Sempre estaremos à espera do desconhecido. Do novo. Do mágico e do maravilhoso milagre que é ser mãe. Um presente sem manual, mas totalmente Divino.

 

Love, J. <3

SEGUNDO FILHO – ROTINA NOVA

Em 20.07.2016   Arquivado em CONFISSÕES MATERNAS, MATERNIDADE

SEGUNDO FILHO – ROTINA NOVA

925706_979543135453323_1778586992_n

Olá meus amores, desculpem o sumiço. Mas, por aqui, estamos vivendo uma loucura. Diria que uma loucura apaixonante.

Mateus Lucca nasceu saudável e lindo (filho é tudo lindo para mãe rs), de cesariana no dia do meu aniversário e veio como um belo presente de Deus. Não levamos o Davi Luiggi para conhecê-lo na maternidade porque achamos ele muito novinho para ir ao hospital, não entende muito o que está acontecendo e seria mais um nó na cabecinha do meu petitico numero 1.

O parto foi tranquilo, no inicio eu estava um pouco preocupada porque na cesariana do Dluiggi fiz cola e já falei sobre isso aqui e agora a obstetra preferiu o ponto plástico. Em um próximo post vou falar o que achei de cada um e as vantagens e desvantagens que eu tive que enfrentar.  Mas tudo ocorreu bem e minha recuperação segue sem nenhum problema, graças a Deus.

O Petitico 1 conheceu o Petitico 2 em casa e confesso que ele não foi muito amigável com o novo membro da família. Mas hoje, 12 dias depois, já da beijo e faz carinho no nenê, morro de amores.  Contudo, o ciúme é inevitável e estamos em fase de adaptação.

Com a chegada do nenê( Davi chama carinhosamente o irmão de nenê) os horários da casa mudaram e nos primeiros 3 dias eu e minha mãe quase tivemos um surto e o marido em um sono profundo, inveja define o que senti rs. Não dormimos bem, não sabíamos o que fazer com o Davi, de quem cuidar primeiro, do Davi, Mateus ou se preocupar com os cuidados da minha cesariana. Minha mãe precisou se desdobrar para cuidar de nós três e ainda esta se desdobrando com os cuidados, mas agora já estamos mais tranquilas.

A partir do quarto dia ficamos mais tranquilas, mas os ciúmes do Dluiggi continuaram e eu me segurei varias vezes para não chorar e não me culpar pelo que estava acontecendo, Dluiggi pedia colo, fazia birra, ficou uma noite inteira sem dormir nada, nadica de nada, e depois não dormia bem nas outras noites, chegamos a pensar que ele estava sentindo alguma dor porque chorava sem consolo e era um choro desesperado. Não podia ver o Mlucca que virava a cara e fazia bico, a primeira semana foi assim: MUITO DIFÍCIL .

Mas, depois da tempestade vem à calmaria e por incrível que pareça, Dluiggi está se aproximando do nenê, da beijinho, passa a mão na cabeça, pega no pezinho e até já ofereceu o edredom naninha dele para o irmãozinho e essa noite, depois de 11 noites sem dormir direito, dormiu bem, graças a Deus. Acho que ao poucos ele esta entendendo o que esta acontecendo e esta mais tranquilo. Sei que ainda teremos muitos momentos de difícil adaptação e que há um tempo para cada coisa e que os anos farão dos meus filhos grandes amigos. Por enquanto, vamos com muito carinho e amor explicando para o Dluiggi que o irmãozinho veio para ser um companheiro e amigo dele. Que ele é como o Geoge, irmão da Peppa e logo vão brincar juntos e hoje eu tenho certeza que está dando certo.

Ainda tenho muito assuntos novos sobre a chegada do segundo filho, assuntos importantes que vou ir escrevendo ao longo dos dias e quando eu tiver um tempinho posto.

Meu Mateus Lucca

Meu Mateus Lucca

Beijos no coração :*

Love, J. <3

ENXOVAL DO SEGUNDO FILHO

Em 02.06.2016   Arquivado em MATERNIDADE

ENXOVAL DO SEGUNDO FILHO

 

enxoval de bebe

Olá meninas, quem ae tem um filho? E quem está esperando o segundo?

Então, estamos juntas!!!

Hoje em uma conversa com uma amiga comentei todos os acontecimentos dessa gestação e segue um dos meus relatos:

-Amigaaaaa estou de 33 semanas e nada de montar quarto, fazer enxoval e essas coisas que mãe de primeira viagem deixa organizado no máximo até o inicio do sétimo mês. Ontem eu fui separar umas coisinhas que tenho para minha mãe lavar e chegamos à conclusão que está faltando muita coisa. Entrei em pânico! Não guardei muitas coisas do Davi, já que não tinha planos para ter outro bebê assim tão pertinho hihihih.

Na verdade a gravidez do segundo filho passa muito rápido e quando você se dá conta o bebê está para chegar. Meu conselho é que assim que descobrir a segunda gestação você se organize, faça uma relação das coisas que vai precisar e monte um cronograma com data certinha para cada coisa. Eu deveria ter feito isso! Hoje fiz uma lista com tudo que falta e sábado vamos a São José do Rio Preto comprar, Não vou colocar a lista aqui porque assim que tiver tudo prontinho eu vou mostrar para vocês. E fiz outra lista com o que tenho e era do Davi e não vou precisar comprar:

-Berço

-Berço desmontável

-Cadeirinha de balanço

-Carrinho de bebê

-Bebê conforto

-Manta

-Cueiro (além dos do Davi eu tinha comprado alguns já tem um tempinho)

-Mijão (Também tinha comprado)

-Fralda de pano (tenho algumas do Davi)

-Paninho de boca (Comprei nove, acho que será o suficiente, o Davi ainda tem muitos e eu vou usar os deles se precisar rs)

-Cobertor

-Farmacinha

-Sapatinhos (tenho alguns que eram do Davi e estão novinhos)

-Bolsa maternidade e frasqueira

Depois do primeiro filho você percebe que muita coisa é desnecessária, já comprei quatro macacões bem bonitinhos para o Mateus ficar bem fofo e tenho mais dois do Davi que eu guardei. Como ele ira nascer no frio ainda vou precisar comprar mais alguns e o restante das coisas que ainda não temos.

Quando tiver tudo prontinho faço um post completo com tudo que comprar.

E você, como está sendo sua segunda gestação? Você também está na reta final? Já montou o enxoval? Conte para nós entrefraldaseblush@gmail.com

Love, J.<3